Jubileu da RCC em Roma

A convite do Papa Francisco, a cidade de Roma recebeu os carismáticos vindos de todas as partes do mundo para celebrar os 50 anos da Renovação Carismática Católica, que teve início no dia 31/05/2017 e culminou com a Vigília de Pentecostes no Circo Massimo e a Missa de Pentecostes, dia 04/06/2017, na Praça de São Pedro.

Nesses cinco dias marcantes, foram marcados diversos encontros espalhados pelos bairros históricos da Cidade Eterna e nas suas diversas igrejas, onde os membros da RCC puderam se confraternizar, conhecer as diversas realidades e ouvir as pregações e testemunhos dos seus mais ilustres líderes.

A Vigília de Pentecostes contou com a presença do Papa Francisco e mais de trinta mil carismáticos de todo o planeta no Circo Massimo, lugar de Martírio de milhares de cristãos na época da perseguição o Império Romano. No Domingo, o Papa recebeu os peregrinos na Praça de São Pedro para a Celebração de Pentecostes.

A Diocese de Teixeira de Freitas, com o apoio financeiro dos Grupos, enviou o Presidente do Conselho Diocesano, Helber, para representá-la. Abaixo alguns relatos das impressões do encontro, enviadas ao Conselho durante a viagem a Roma

27/05/2017 16:55:34: Helber Clayton: Caros irmãos e irmãs,

Estou em Salvador neste momento, me preparando para embarcar no voo para Roma, para participar desta semana intensa que será a festa do nosso Jubileu com o Papa Francisco, culminando com a celebração de Pentecostes.

Minha expectativa é que será verdadeiramente um novo Pentecostes, não só para os que irão participar, mas para a Igreja do mundo inteiro.

Gostaria de agradecer imensamente a todos os que colaboraram de todas as formas (com dinheiro, oração, tempo..), apesar de todas as dificuldades, para que nossa Diocese estivesse representada neste acontecimento tão especial para nós.

Levo em meu ser cada um de vocês, cada grupo de oração… Irei representá-los com grande dedicação e alegria, e, como Nossa Senhora, quero guardar cada momento em meu coração para transmitir os frutos deste Encontro que, sem dúvida, será maravilhoso.

Deus abençoe cada um!

Em breve darei notícias sobre os fatos de Roma.

Paz! E vida longa à RCC!

 

31/05/2017 04:16:39: Helber Clayton: Umas das coisas mais lindas que pude sentir na visita à Basílica de São Pedro foi ver a gratidão desta Igreja para com aqueles que deram a vida por ela. A memória dos Santos está aqui por toda parte, mais do que em qualquer outra que eu vi: nas paredes, no piso, no teto, nas colunas da Igreja… Há dezenas de altares espalhados por todos os cantos, debaixo de cada altar está enterrado um Santo Papa, alguns ainda incorruptos depois de centenas de anos, e debaixo do altar mor está o corpo de Simão, filho de Jonas, a quem Cristo transformou no Apóstolo Pedro, nosso primeiro Papa. Isso nos mostra que a Basílica, como representação da Igreja, não é feita apenas de tijolo e belas obras de arte, mas principalmente de homens e mulheres deram a vida por Cristo e por seus irmãos. Que possamos nós também ser contados entre estas pedras vivas da Igreja. Paz de Jesus bom dia a todos.

 

01/06/2017 02:20:18: Helber Clayton: Ontem no encontro em frente à Basílica de Santa Maria Maior aprendi um pouco mais sobre o dom das línguas. Sempre considerei o cenáculo  como uma Babel ao contrário. Ao invés da confusão das línguas que aconteceu naquela torre, em Pentecostes o Espírito fez com que povos de todas as nações se entendessem dando aos discípulos a capacidade de profetizar em várias línguas. Mas os detratores da RCC usam exatamente essa parte para nos diminuir dizendo que no momento das línguas ninguém entende nada etc e tal… NÃO É VERDADE. Estando aqui pude perceber que na verdade esse é o único momento em que todos se entendem. Quando oramos assim não há “judeu nem grego, nem bárbaro nem cita, nem escravo nem livre”, mas uma só nação, um só povo do Senhor, que fala a mesma língua: a maravilhosa língua do Espírito Santo!

 

02/06/2017 05:24:03: Helber Clayton: Difícil resumir o dia de ontem aqui por causa do  seu simbolismo e riqueza. Ontem, nas vielas milenares do centro histórico de Roma, estivemos atrás dos pregadores famosos. Há dois milênios os primeiros cristãos faziam o mesmo, procurando nos lugares escondidos, identificados com o sinal dum peixe, os primeiros pregadores do Evangelho, profetas que ousavam desafiar o Império, liderados por um tal de Petros, um rude pescador da Galileia… Certamente ninguém podia imaginar que Roma estaria repleta de tantas belíssimas igrejas como vemos hoje simplesmente pela pregação daqueles pobres e incultos estrangeiros…

Os pregadores de ontem eram indicados pela flâmula do Jubileu que clama pelas ruas de Roma: “Veni Creator Spiritus”. Paty Mansfield, Jonas Abib, Briege Mckena, Raniero Cantalamessa, Prado Flores, Ralph Martin, dentre outros, homens e mulheres que fizeram a história da RCC são para nós como os primeiros pregadores do evangelho. Começando do quase nada, com a nossa ajuda, espalharam a chama do novo Pentecostes que se difundiu pelo mundo inteiro, chegando a lugares que quase nem ouvimos falar. Alguém se lembra onde fica Guam ou Botswana? Pois saibam que lá também a chama da RCC arde pra valer…

Me pus a perguntar quais movimentos na Igreja em apenas 50 anos se expandiu tanto e produziu tantos líderes? Quanto ainda se expandirá nos próximos 50 anos ou no resto de sua história? Assim como em Roma antiga, ajudará a Igreja a colocar a doutrina de Cristo à frente das doutrinas pagãs do nosso tempo?

A resposta pode ser dada por cada um de nós em nossos pequenos grupos de oração, cheios de pobres e rudes pregadores, que muitas vezes parecem quase nada no meio da sociedade incrédula… Mas aqueles que se deixam conduzir pelo Espírito que suscitou e anima essa Renovação, tornam-se também profetas que desafiam o império do pecado e da morte e fazem propagar ainda mais a chama do Novo Pentecostes que inflama o mundo e “enche as cidades da doutrina de Jesus Cristo”

 

03/06/2017 06:04:56: Helber Clayton: Quando o Senhor subiu aos céus os apóstolos ficaram estupefatos com aquela cena jamais vista. Logo em seguida dois anjos apareceram e lhes advertiu que não ficassem ali a olhar para o céu porque o Senhor voltaria do mesmo modo. Era hora de agir? A resposta era NÃO! Era hora de esperar, pois nenhum deles sabia o que fazer, nenhum deles tinha a menor ideia do que estava por vir. Sabiam apenas que deviam esperar pelo Espírito Santo que Jesus disse que viria.

Ao contrário do que aconteceu após a morte de Jesus, os discípulos não se dispersaram, nem procuraram voltar aos seus antigos afazeres porque tinham visto o Senhor se levantar da morte e isso lhes deu a confiança de que algo maior ainda ele iria fazer.

Voltaram a Jerusalém para esperar… Esperar de que modo? Pedro e os demais apóstolos nos dão o primeiro ensinamento da Igreja: “os cristãos devem esperar unidos na oração”…

Todos que estão aqui e os que nos acompanham no resto do mundo pela internet estão maravilhados com o que está acontecendo em Roma nos últimos dias. Todos são unânimes em sentir que algo novo e grandioso está por vir, porque o Senhor não nos chamou aqui pela voz do Papa simplesmente para recordarmos o passado e admirarmos a grandeza da RCC no mundo, mas para avançarmos para “além do que conseguimos ir até hoje…”

O que é não temos a menor ideia…

Esperemos então, pois é o que nos resta.

Hoje é véspera de Pentecostes! Hoje é dia de esperança! Dia de vigília ansiosa! Esperemos na oração. Reúna seu grupo, sua família. Peça algo novo. Não algo que você quer, que já sabe, ou já tem, mas algo novo. Abra-se àquilo que o Senhor quer te dar. Deixe o Espírito te conduzir para um futuro além de onde consegue enxergar.

Lembrem-se que quando os irmãos estão unidos em comunhão o Senhor derrama uma benção eterna (Sl 132,3).

 

04/06/2017 19:02:29: Helber Clayton: Queridos, irmãos e irmãs,

Concluo este retiro maravihoso de pentecostes desejando imitar a mãe de Jesus, que “guardava tudo e meditava em seu coração”, pois só assim a semente da palavra que foi semeada pode produzir frutos “cem por um”.

Como delegado do Conselho Diocesano sinto-me no dever de fazer este resumo do que senti, vi e ouvi aqui nestes dias… Mas sei que é preciso esperar passar a comoção de estar aqui, junto com irmãos que escutaram o ruído de Pentecostes, de “todas as nações que há debaixo dos céus” para depois, calmamente, recolher, relembrar, juntar as peças e tentar compreender o que o senhor quer de nós com tudo isso…

Algumas direções já surgem claras no horizonte. Pela boca do Papa e de quem fala em seu nome sabemos que a Igreja nos quer na linha de frente na busca da comunhão com as outras Igrejas cristãs, pois percebeu que “o ecumenismo espiritual precede o doutrinal” (palavras de Raniero Cantalessa). Isso significa algo grande: A Igreja claramente confia que a RCC pode ajudá-la a alcançar a promessa de reunir todos os dispersos “em um só rebanho e um só pastor”. Como dizem os Italianos “isso é grande”. Por isto, irmãos, preparemo-nos para abandonar velhos conceitos… Tentemos olhar os irmãos separados pelo o olhar da mãe de Jesus. Sim, com o olhar de mãe que não deseja o ódio entre seus filhos… Com um olhar de mãe que ama um filho que a venera tanto quanto outro que a despreza…

E para isso a Igreja espera que sejamos o que nós somos: vibrantes, dançantes, alegres, celebrando a Efusão no Espírito Santo…. Nada memos do que somos. Foi isso que o Papa nos disse ontem na Vigília que ele mesmo convocou…

Me tocou profundamente ver o Papa Francisco no meio de nós estendendo os braços de olhos fechados, cantando as nossas músicas ao lado de Patty e Michele… Isso é emblemático… Esse gesto fala mais do que mil discursos…

Olhemos com o olhar da Mãe de Jesus para a nossa história e para o nosso futuro… Ela está conosco antes, durante e depois de Pentecostes.

Paz de Jesus!

Saudades

Galeria de Fotos

[supsystic-gallery id=’7′]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *